Ir para o conteudo 1 Ir para o menu principal2 Pular lista Órgãos de Governo3
Fim da lista órgãos do governo

Usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no Portal Dataprev. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse nosso Aviso de PrivacidadeAo continuar navegando, você confirma que leu, compreendeu e consente com a utilização de cookies.

Atualizado em: 
dom, 18/12/2022 - 23:41

Empresa é responsável por processar o pagamento de benefícios sociais que vão somar R$ 1 trilhão até o final deste ano

Diretoria Executiva apresenta balanço de ações da Dataprev à equipe de transição do governoOs desafios da tecnologia na implementação de políticas públicas sociais efetivas e o papel da Dataprev como ponte entre o Estado e a sociedade ao prover soluções digitais para o exercício da cidadania. Essa foram as principais questões discutidas pela Diretoria Executiva da empresa e membros do Grupo Técnico de Ciência, Tecnologia e Inovação, da equipe de transição do governo. O encontro ocorreu na sede da empresa, em Brasília, na tarde de quinta-feira (1º). “Foi um extenso, produtivo e cordial debate”, avaliou o presidente da estatal, Gustavo Canuto.
 
O gestor destacou que a Dataprev, apesar de ter nascido para atender às demandas da Previdência, veio se firmando ao longo dos anos como consultora governamental para políticas públicas. “A experiência das equipes da empresa vai muito além da tecnologia e inovação. São empregados públicos que têm um conhecimento diferenciado do negócio, com bastante expertise em políticas sociais”, observou o presidente ao apresentar um processo natural de reposicionamento de missão da Dataprev.
 
“Em um país como o Brasil, com diferenças regionais e sociais tão acentuadas, a tecnologia se torna ainda mais essencial. Por isso entendemos que a Dataprev tem tanto a contribuir com o Estado, sobretudo no sentido de proporcionar uma compreensão melhor dessas diferenças e de quais políticas assistenciais, trabalhistas e previdenciárias podem ser mais efetivas para um determinado conjunto da população”, pontuou.
 
O comentário do presidente se justifica pelo imenso volume de informações dos cidadãos armazenadas com segurança pela empresa em seus três data centers – todos com certificação internacional. Está sob a guarda da Dataprev, por exemplo, o maior volume de dados sociais da população brasileira: o CNIS [Cadastro Nacional de Informações Sociais].
 
Rampa social
 
Ainda de acordo Gustavo Canuto, a efetividade das políticas públicas é decisiva para que cidadãos possam ascender no que ele denomina como “rampa social”. “Isso para que, por mais que eles estejam em uma situação de vulnerabilidade e assistência, tenham acesso a políticas certas e possam se inserir e seguir no mercado de trabalho, tendo incentivos para contribuir com a Previdência e, no futuro, usufruir de uma aposentadoria tranquila. Hoje a atuação da Dataprev perpassa por essas três áreas”, acrescentou.
 
Precisão na concessão de benefícios
 
Neste ano, a Dataprev processou o pagamento de benefícios sociais que somam R$ 1 trilhão nos segmentos de Assistência, Trabalho e Previdência. “É um dado que impressiona e considera apenas aqueles benefícios com maior movimentação: os previdenciários, o Benefício de Prestação Continuada (BPC), o Abono Salarial, o Seguro-Desemprego e o Auxílio Brasil”, disse Gustavo Canuto, salientando também o trabalho da Dataprev em análise de riscos para evitar pagamentos indevidos.
 
Diretoria Executiva apresenta balanço de ações da Dataprev à equipe de transição do governoCom o enorme volume de dados dos cidadãos armazenados nos data centers da empresa, é possível cruzar informações diversas e prover aos órgãos públicos que são clientes da Dataprev relatórios de inteligência de dados. Isso se dá por meio do conhecimento das equipes técnicas e de negócios, e do uso de tecnologias como Data Lake e Analytics, possibilitando a detecção preventiva de inconsistências, não conformidades e indícios de irregularidades. A cada ano a iniciativa gera uma economia de bilhões aos cofres públicos.
 
No ano de 2021, apenas em três frentes de atuação da empresa – benefícios previdenciários, Seguro-Desemprego e Seguro-Defeso –, os pagamentos indevidos evitados somaram R$ 24 bilhões. O dado foi apresentado por Gustavo Canuto à equipe de transição.
 
Sinergia 
 
Presente ao encontro, o ex-presidente da Dataprev, André Leandro Magalhães, membro do GT de Ciência, Tecnologia e Inovação do grupo de transição do governo eleito, destacou a importância da sinergia entre as equipes nesse processo. “É fundamental, especialmente no sentido de garantir a continuidade efetiva de ações importantes. Sabemos que a Dataprev é uma peça-chave no processo de transformação digital do Estado e na prestação de serviços públicos ao cidadão por meios digitais”, concluiu.