Desculpe, você precisa ativar o JavaScript no seu navegador para visitar o Portal Dataprev.
Ir para o conteudo 1

Usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no Portal Dataprev. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse nosso Aviso de PrivacidadeAo continuar navegando, você confirma que leu, compreendeu e consente com a utilização de cookies.

Atualizado em: 
qui, 30/06/2022 - 16:22

Em pauta, papel das organizações na conscientização, oportunidades sociais e preservação dos recursos naturais; cidadão também precisa fazer sua parte

A Dataprev aproveitou a Semana do Meio-Ambiente, celebrada em função do Dia Mundial do Meio Ambiente, em 5 de junho, e, em parceria com o Instituto Ethos, realizou uma palestra sobre responsabilidade socioambiental, consumo consciente, o papel das empresas e dos cidadãos. O convidador foi Felipe Saboya, que atua no Ethos desde 2011 e hoje exerce o cargo de diretor-adjunto do instituto.

De acordo com o especialista, mestre em Políticas do Trabalho e Globalização pela Universidade de Kassel, na Alemanha, cada vez mais os próprios consumidores valorizam empresas que seguem uma agenda ambiental. Por isso, explica, os investidores também veem nisso uma oportunidade de investimento a longo prazo.

“Empresas ambientalmente responsáveis têm mais chances de permanecer no mercado, enquanto empresas que visam lucro rápido e não pensam no futuro tendem a perder patrocínios e oportunidades de negócio”, afirma. Saboya explicou que, ao trazer cada vez mais empresas para a discussão sobre sustentabilidade, o Ethos quer apoiar a transformação das práticas, articular ações, construir em conjunto, mobilizar empresas, cadeia de valor e sensibilizar pessoas e organizações em torno dos temas em que atua.

“Com certeza existem necessidades da sociedade, do mercado que ainda não foram atendidas e que vão gerar novos setores com novas oportunidades de negócio”, destacou. O Ethos, ao qual a Dataprev também é associada, ajuda empresas a analisarem suas práticas. “São empresas que pensam no impacto de suas ações na preservação do planeta”, diz Saboya. “Essas organizações se preocupam em gerar as condições necessárias para garantir um futuro seguro para as próximas gerações”.

O papel do cidadão

Além das empresas, a palestra também mostrou que o cidadão precisa fazer sua parte. Como? A resposta é simples; economizar água e energia, separar os resíduos em recicláveis, orgânicos e eletrônicos, descartá-los corretamente e, principalmente, rever nossos hábitos de consumo.

Além disso, também se pode contribuir para a criação e recuperação de áreas verdes em casa, no seu bairro, no local de trabalho, e, se possível, reduzir o uso de carros e substituí-los pelo uso de transporte público, ou outros meios de transporte.

“Atualmente a gente vive uma condição de insustentabilidade ambiental e social”, segundo Saboya. “A cada ano, a gente consome 74% mais recursos naturais do que o planeta é capaz de regenerar. Em oito meses, a população global consome os recursos naturais disponíveis na Terra para 12 meses.”

“Ao mesmo tempo tem um aumento vertiginoso da classe consumidora. Principalmente porque diversos países, como o Brasil, estão em desenvolvimento, alguns em processo de crescimento rápido. E comparado a países de Europa, que atingiram esse nível de desenvolvimento há muito tempo, países na Ásia, África e América Latina estão gerando cada vez mais consumidores em nível global. Então, só haverá o suficiente para todos, e para sempre, se houver um consumo consciente”, completou o diretor do Ethos.

Existe uma fórmula simples desenvolvida pelo Instituto Akatu, parceiro do Ethos. São seis perguntas para fazer a si mesmo antes de consumir algum produto. As perguntas são: Por que comprar? O que comprar? Como comprar? De quem comprar? Como usar? E como descartar? Esse exercício simples já são uma grande reflexão sobre como nós consumimos e podem ajudar muito a realização do consumo consciente.

E a Dataprev?

Ex-coordenador de Responsabilidade Socioambiental da Dataprev, hoje na Divisão de Relações de Trabalho, também participou do evento e falou da trajetória da empresa no caminho para ser ecologicamente responsável.  “A Dataprev é uma empresa que, na última década, tem atuado fortemente nessa questão. Se colocando como uma empresa ambiental e socialmente responsável”, afirmou.

“A área de Responsabilidade Socioambiental foi criada em 2005 e, de lá pra cá, sofreu várias mudanças. Mas sempre em busca de evoluir, tanto na questão ambiental quanto social”, continuou. Recentemente, por meio do mercado livre de energia, a Dataprev começou a utilizar energia limpa em seus três data centers, certificados internacionalmente. Os data centers, inclusive, contam com o selo CEEDA – Certified Energy Efficiency in Data Centres Award – que atesta as melhores práticas de eficiência energética. A Dataprev foi a primeira empresa pública da América Latina a conquistar essa certificação.

A empresa também implementou tecnologias de reaproveitamento da água da chuva, áreas para descarte de reciclado em algumas unidades. Além de campanhas de conscientização para a redução do uso de materiais descartáveis, os prédios da empresa contam com sistemas de economia de água, com torneiras automáticas e descargas com limite de fluxo.