Atualizado em: 
ter, 15/06/2021 - 15:26

Depósitos começam na sexta-feira (18). Cidadãos com o benefício cancelado têm até o dia 22 de junho para contestar no portal da Dataprev

 

Pai e filho, ilustrando beneficiários, posam para fotoO Ministério da Cidadania antecipou o calendário de transferências e saques da terceira parcela do Auxílio Emergencial 2021 para o público inscrito via canais digitais e do Cadastro Único. Os depósitos na conta social digital têm início na sexta-feira (18) para os aniversariantes de janeiro. O novo cronograma foi oficializado, nesta terça-feira (15), por meio da Portaria n. 636, publicada no Diário Oficial da União (DOU). Essa é terceira antecipação no calendário de pagamento e de saques do benefício para atender à população brasileira mais vulnerável.
 
A mudança mais significativa será para os nascidos em dezembro, que passam a ter direito à terceira parcela no dia 30 de junho, junto com quem faz aniversário em novembro. Anteriormente, quem nasceu no último mês do ano receberia em 21 de julho.
 
“O trabalho realizado pelo Ministério da Cidadania e seus parceiros têm possibilitado a antecipação dos pagamentos, mostrando que a operação está sendo realizada com eficiência. O dinheiro chegará mais cedo a quem mais está sofrendo com as consequências econômicas geradas pela pandemia do novo coronavírus”, afirmou o ministro da Cidadania, João Roma.
 
Programa Bolsa Família
 
Para o público do Auxílio Emergencial 2021 incluído no Bolsa Família, os repasses continuarão sendo feitos de acordo com o calendário habitual do programa. Em junho, o início dos pagamentos ocorrerá na quinta-feira (17) para os beneficiários do Número de Identificação Social (NIS) com final 1.
 
Contestações
 
Os beneficiários que tiveram o Auxílio Emergencial 2021 cancelado devido à revisão mensal de junho têm até o dia 22 de junho para contestar a decisão no Portal de Consultas do benefício – desenvolvido pela Dataprev para o programa.
 
Para verificar a possibilidade de retomar o pagamento do benefício, o cidadão deve acessar o Portal de Consultas e deve verificar se há parcela com a situação “cancelada”. Neste caso, o cidadão deve clicar no botão “contestar”. 
 
Se a razão que motivou o cancelamento permitir contestação, o registro do cidadão será reanalisado pela Dataprev e o trabalhador poderá voltar a receber, caso seja aprovada a contestação.
 
As regras de processamento e contestação do programa são definidas pelo órgão gestor – Ministério da Cidadania. A Pasta também é quem realiza o bloqueio e cancelamento das parcelas do Auxílio Emergencial.
 
*Com informações do Ministério da Cidadania